Arquivo de Julho, 2010

Revisitando o passado

Posted: Julho 30, 2010 in Metalinguística, Poesia

Estava aqui pensando sobre o que postar hoje e acabei tendo a idéia de reler coisas que escrevi há algum tempo. Encontrei nos meus journals da last.fm uma poesia que fiz, com o mesmo nome do meu blog, e que de certa forma me inspirou a dar esse nome. Decidi então fazer um post comentando essa poesia e o que mudou de lá pra cá.

A poesia em si é um diálogo entre três eus diferentes, um que se expressa em italiano, outro em inglês e outro em português. As línguas diferentes servem pra enfatizar o quão diferente pode ser a sua própria visão sobre um mesmo assunto e explicitar uma confusão interna em torno de uma decisão difícil. Vejam:

(mais…)

Anúncios

É mais fácil ser hater

Posted: Julho 27, 2010 in Crítica

Hater é uma pessoa que expressa um ódio (hate) em relação a algo, seja ele gratuito (como na maioria das vezes) ou fundado em um princípio particular. Partindo daí, a criatura começa a falar mal publicamente de algo ou alguém e começa a ter seguidores que compartilham da mesma opinião. Ou seja, tornam-se famosos. É, pelo menos pra quem se dá esse trabalho, né. Um dia desses eu perguntei: quem diabos é Felipe Neto? E a resposta: é um hater que ficou famoso. E a minha cara: .-. E então, peguei um espelho e comecei a refletir (nossa, que piada engraçada) e tou aqui parando pra escrever sobre isso.

(mais…)

The Un-thinkable

Posted: Julho 26, 2010 in confissões

Você já esteve diante de uma situação que te fez lembrar todos aqueles que você julgou? Um belo dia onde você se vê no papel do bandido num crime que você já foi vítima? Um evento que te faz querer tomar todas as atitudes que você condena num ser humano? Que te faz querer tomar proveito da easy way out?  Já que é só entre você e você mesmo… o que você faria? Muito provavelmente o que qualquer mortal faria:  give in.

(mais…)

CALA BOCA BRASIL

Posted: Julho 23, 2010 in Crítica

É impressionante como o brasileiro consegue se unir em torno do fútil. Um dia desses eu percebi no twitter uma movimentação interessante que ficou conhecida como “CALA BOCA GALVÃO”. Nossa!, pensei. Finalmente alguém pensou em dar um basta no sensacionalismo exagerado do outro lá. Pois bem, o que poderia ser uma coisa de futuro, virou a maior piada interna da história e mais uma vez o povo brasileiro foi desacreditado mundialmente. (Impressionante, será que alguém já tinha pensado por esse lado?) Depois disso resolvi mudar meus Top Trending Topics do twitter do worldwide e do Brasil pros Estados Unidos. Por quê? Porque não sou obrigado a ver merda no meu twitter. (não que tenha mudado muita coisa,  mas pelo menos é spam e não gente que acha que tá sendo ‘in’) Depois disso foi uma chuva de CALA BOCA pra Deus e o mundo. Até que ninguém aguentou mais… pensava eu! Aqui está um CALA BOCA STALLONE. Tenho certeza que a percentagem de pessoas que foi atrás de saber o que isso era diminuiu drasticamente. Eu mesmo nem fui atrás de saber. A piada perdeu a graça.

(mais…)

Explicando o título

Posted: Julho 23, 2010 in Metalinguística

1- Metalinguagem é a linguagem utilizada para descrever um sistema de significação.

2- Metalinguísitica é o estudo da linguagem e sua relação com a sociedade e a cultura.

Pois é isso que eu vou fazer aqui. Expor meu sistema de significação e a relação com o que me cerca. (short and sweet, huh?)

Sim, vou escrever em português e inglês, e por varias vezes vou misturar os dois.

That’s what she said

Posted: Julho 23, 2010 in Metalinguística

Lógico que eu preciso fazer um post disso, por que muito provavelmente eu vou fazer referência demais a isso!

“That’s what she said” é um bordão utilizado por Michael Scott, o personagem de Steve Carell da série “The Office”, sempre que alguém fala algo de duplo sentido. A brincadeira pegou entre os colegas de trabalho e já virou mania e parte do nosso vocabulário. Ou seja, quando lerem a expressão ‘that’s what she said’ já sabem o que é.  Claro que muitas vezes o bom senso (quem?)  me diz que não devo usar essa expressão, mas sempre penso de qualquer maneira. Aqui vão alguns exemplos:

1. I can’t take it! This is too hard!

2. As paredes estavam muito feias. Depois de pintar lá fora deu vontade de pintar aqui dentro também.

(sabe quando você se arrepende de postar algo? poisé… I just realized, I don’t care!)