Quando os fantasmas aparecem

Posted: Agosto 9, 2010 in Metalinguística

Ele estava ali, vivendo sua vida como de costume. Na verdade, seria ironia dizer que foi sempre do mesmo jeito. Tanto já havia passado em tão pouco tempo. Parecia até que aquela mesma pessoa já havia sido de todas as idades sem nunca sequer envelhecer. O tempo o deixara mais forte.

Ainda assim, ele estava ali, vivendo sua vida como de costume. De qualquer modo, a olho nu nada poderia ser visto além da anormalidade de alguém viver sua vida como deseja. Não se dava o trabalho de desviar olhares já tortos. O tempo o deixara mais consciente.

Mesmo com tanta mudança, ele continuava a viver a sua vida como de costume. E do mesmo modo, assim faziam vários outros, vivendo a sua vida por ele mesmo. Como num videogame que possui finais alternativos, cada um criava seu próprio game over em torno de um personagem tão cheio de vida, fazendo com que os jogadores tirassem proveito de realidades alternativas. O tempo o deixara mais realista.

E ali, dentro daquela biblioteca, algo o fez erguer os olhos de seus quadrinhos. Uma figura estranha, envolvida numa névoa sem cor e com olhos curiosos. Ao ver mais de perto, o ser parecia na verdade bem familiar, só que um pouco mais morto. Intrigado, ele retribuiu o olhar: “pois não?”

“Você não está me reconhecendo?”, perguntou uma voz intimidadora. “Estou sim, você não mudou em nada”, respondeu com ar de tranquilidade. “Como assim eu não mudei em nada? Eu fui o responsável por te destruir, por te fazer desconfiar de tudo, por não gostar de ser quem você era, por te fazer duvidar de tuas capacidades, por te afastar dos teus amigos, por te deixar mal… Agora que você está bem, aqui estou eu pra fazer tudo de novo, e não vou medir esforços! Você não está com medo?”, perguntou numa ira infernal. “Acho que você esqueceu de um detalhe”, replicou humildemente. “Mesmo destruído, fui eu quem te matou”. E o fantasma sumiu.

Anúncios
Comentários
  1. Halina diz:

    “mesmo destruído, fui eu quem te matou..” arrasou. =)

  2. eddysilva diz:

    Caraca!!Amei!!!
    “[…]Como num videogame que possui finais alternativos, cada um criava seu próprio game over em torno de um personagem tão cheio de vida…” – Adorei esse parte!!! Mas o texto todo tá incrível!

  3. Abençoados sejam os capazes de amar, pois não perderão a fé em si, nem nos outros.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s